, , , ,

Pra quê peru de Natal?

Já comentei algumas vezes aqui que paramos de comer carne vermelha quando voltamos de uma temporada na Argentina cheia de exageros (carne de frango já não comíamos, praticamente). Acontece que esse evento se deu na primeira semana de novembro (2012). Isso quer dizer que em um mês já estávamos às portas do Natal. Mas e daí?

Minha gente, como assim celebrar o Natal sem o meu amado e idolatrado peru de Natal?? Como, como?? Sem nenhum exagero, essa era a receita mais esperada do ano por mim. Novembro ia acabando e a minha playlist do Youtube só tocava a danada da música do comercial da Sadia. Todos os meus planos giravam em torno do tal… Peruuuu de Nataaaaaal!! hahahahaha

Admito, me dar conta que não haveria peru no Natal fez estremecer a convicção da minha recente tomada decisão. Fiquei #xatiada. Como lidar?

Sinceramente? Não lembro. Lembro da expectativa, logo quando Lucas me apontou essa conclusão (sem carne, sem peru). Mas passou. E pronto. Não lembro de ter me preocupado com isso na ceia propriamente dita. Viemos pra Pernambuco, passar o Natal com a família. Comi tudo que tinha na casa da minha tia, menos as carnes. E pronto. Ano seguinte a mesma coisa. Claro, o fato de que as comidas de festa da casa da minha vó/tia serem sempre uma delícia, por si só, ajudou muito.

Enfimmm… toda essa conversa pra mostrar duas coisas: 1) as festas de fim de ano são muito importantes pra mim e 2) algumas coisas que a gente acha que vão ser super difíceis de vencer, acabam fluindo com muita naturalidade. Poréeeemm… Se o Natal/Ano Novo vai acontecer na sua casa, é um pouco mais delicado não?

Esse foi o nosso primeiro ano em Pernambuco depois de casados, então resolvemos fazer o Natal e o Ano Novo aqui em casa (mais uma justificativa pro hiato enorme de posts aqui no blog :P). Ponderamos por bastante tempo sobre como lidaríamos com a questão da carne (que nossas mães queriam trazer) e resolvemos ser flexíveis. Entendemos que as pessoas vegetarianas e, especialmente, as veganas não aceitem o consumo de carne nas suas casas. Pensamos nisso por um tempo. Mas, aos 45 do segundo tempo, resolvemos liberar. Combinamos que quem quisesse poderia trazer o peru, mas pedimos que já trouxessem pronto e em fatias. Chegamos a conclusão que não podemos forçar as pessoas a abrirem mão de suas tradições por conta de uma escolha nossa. Queremos que as visitas/refeições aqui em casa sejam vistas como uma coisa/hábito/sei lá diferente, mas positiva.

05
“Não force seus amigos para as suas coisas… Deixe que eles busquem e gostem se quiserem”.

Então teve peru. Mas teve também MUITAS opções vegetarianas/veganas delícia e lindosas! E tudo homemade craro 😉 Ano Novo, mesmo ritmo. E é esse cardápio que vou compartilhar com vocês, que estão na mesma vibe. Bora?

Esse primeiro segundo post (o primeiro foi o de fim de festa, a coxinha vegana :D) vem com o menu e a lista de ingredientes. Dá tempo de comprar tudinho e começar hoje à noite ou amanhã de manhã 😉

Eis meus planos (simplificados, não quero assustar vocês com minha ambição :O):

Cardápio
  1. Caldinho (cenoura, mel e gengibre)
  2. Homus
  3. Grissines
  4. Bazargan
  5. Cuscuz marroquinho com uva passa
  6. Salada de lentilha com cebola frita
  7. Farofa de banana
  8. Quiche de queijo
  9. Salada de verdes com vinagrete de romã
  10. Musse de chocolate
  11. Panetones
  12. Coxinha vegana

 

Deu pra ver que algumas das receitas já apareceram por aqui né? Os links tão aí em cima, mas eu pretendo republicar os posts na página do blog no Facebook e dar algumas dicas que fui desenvolvendo com a repetição 😉

 

Ingredientes

  1. Caldinho: cenoura (1kg), alho, cebola, salsão, gengibre, manteiga, caldo de legumes ou água, mel ou melaço, louro, sal e pimenta-do-reino;
  2. Homus: grão-de-bico, limão, alho, tahine, sal, azeite e páprica;
  3. Grissines: trigo, azeite, pimenta caiena ou páprica, orégano, fermento biológico, açúcar, sal grosso e alecrim;
  4. Bazargan: trigo para quibe, azeite, molho de romã, limão, extrato de tomate, coentro moído, cominho, pimenta síria, nozes (ou castanha do Pará ou de caju) e salsinha;
  5. Cuscuz marroquino com uva passa: cuscuz marroquino e uvas-passas brancas ou pretas;
  6. Salada de lentilha com cebola frita: óleo de girassol, vinagre de vinho branco, açúcar, cominho, lentilha, cebola e queijo feta (eu uso coalho);
  7. Farofa de banana: farinha de mandioca, cebola roxa, alho, banana-prata e manteiga;
  8. Quiche de queijo: trigo, manteiga (quase um pote), queijo minas frescal ou coalho (500g), ovos (5), leite integral, queijo parmesão, noz-moscada;
  9. Salada de verdes com vinagrete de romã: alface-romana, radicchio e alface-frisée (ou outro mix de folhas que você preferir), sementes de romã (opcional), vinagre balsâmico, mel ou melaço e molho de romã;
  10. Musse de chocolate: chocolate ao leite e ovos (3)
  11. Panetones: vou fazer em casa, mas com levain (fermento natural, do livro Pão Nosso), então vou pular essa receita, por enquanto 😉
  12. Coxinha vegana: cenoura, trigo integral, alho, brócolis japonês, cogumelo ou palmito (fresco ou em conserva), farinha de rosca e óleo de girassol (uns 500ml).

 

Alguém vai preparar a ceia em casa esse ano? Quais são os planos de vocês? Se quiserem seguir de mãozinha dada comigo, não esqueçam de marcar #blogbonsdebico (Instagram e Facebook), ok?

 

Bom apetite e feliz Ano Novo!!!

  • 0

    Overall Score

  • Reader Rating:  0 Votes

Share

About ytauana

You May Also Like

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *