, , , , ,

Novas tradições

Como eu tinha falado naquele post do Cupcake de chocolate vegano, aos poucos a gente tá entrando numa onda de explorar lanches e sobremesas veganas. Tanto pra começar a cortar os derivados animais (especialmente laticínios) como também pra dificultar um pouco o jogo (como diria aquela máxima: quer moleza? Senta num prato de pudim! hehehe). Algo como um desafio pessoal, visto que, especialmente aqui em Pernambuco, tem sido muito fácil cortar a carne. Mesmo na rua, tem tanta opção! Algumas super comuns, só pra exemplificar: tapioca (coco, coco e goiabada etc.), milho cozido, salada de frutas, caldo de cana, suco de laranja, castanhas, amendoim e por aí vai. E, pera! Esses daí são só os veganos :O

Nessa estória de questionar os clássicos e criar novos, provando que muitas pessoas acham tão difícil cortar ingredientes como leite e ovos por puro condicionamento, pra jogar minha auto-estima lá pra cima e meu peso também, descobri a coxinha vegana. Oh vida, oh ceús!
Vi no Facebook (não curtiu o Bons de bico ainda? vai lá!) que o Manjericão Culinária Vegana tinha lançado um canal no Youtube e fui lá conferir, sem nem saber que ele já tava cheinho de delícias!  O primeiro vídeo que eu assisti foi esse da coxinha vegana (ele tá aqui no finalzinho do post) e já fiquei doidinha pra testar, pq apesar de achar que não seria tão fácil como ela mostrava a parte de forma as coxinhas, a receita como um todo parecia simples. Procurei loucamente a receita transcrita em algum lugar (já que estava sem internet em casa e vídeo no celular é quase uma missão impossível), mas não consegui. Transcrevi eu mesma, assisti o vídeo mais algumas vezes pra garantir e fui atrás dos ingredientes. — Quem disse que se encontra cogumelo paris fresco em algum lugar por aqui??? Mas enfim, dificuldades a parte, adaptações feitas, a receita original é essa aqui:
DSC_9801
Ingredientes
Para a massa:
1 cenoura média
2 xícaras (chá) água/caldo
sal e azeite a gosto
2 xícaras (chá) trigo integral
Para o recheio:
2 colheres (sopa) de azeite
4 dentes de alho
1 maço de brócolis japonês
100g de cogumelo fresco (usei em conserva e já fiz com palmito em conserva também)
Para a montagem e fritura:
2 xícaras (chá) água
2 xícaras (chá) farinha de rosca
óleo de girassol o suficiente para cobrir as coxinhas durante a fritura (a quantidade vai depender do tamanho da sua panela)

 

Modo de preparo

  1. Comece pela massa: corte a cenoura em rodelas, cubra com água e leve ao fogo médio até ficar macia;
  2. Enquanto a cenoura cozinha, prepare o recheio: pique fino o alho, separe o brócolis em floretes pequenos e fatie o cogumelo ou corte o palmito em cubinhos;
  3. Leve uma frigideira ao fogo médio e, só depois de aquecer, junte o azeite e o alho. Quando o alho dourar, junte os outros ingredientes e cozinhe até ficar macio. Mexa de vez em quando;
  4. Quando a cenoura estiver macia, coloque as rodelas no liqüidificador e meça 2 xícaras (chá) do caldo do cozimento. Se não houver o suficiente complete com água. Bata até ficar homogêneo e tempere com sal e azeite a gosto, o suficiente para salgar também o trigo que virá a seguir;
  5. Leve uma panela funda ao fogo médio e acrescente esse líquido. Junte o trigo de uma só vez e mexa com uma colher de pau sem parar para deixar homogêneo e cozinhar o trigo. O ponto certo é quando a massa começar a soltar da panela e da colher (dá pra entender melhor no vídeo no Manjericão, logo aqui embaixo). Deixe a massa esfriar;
  6. Enquanto a massa esfria, prepare um espaço pra montagem final: Coloque uma panela com óleo o suficiente para cobrir as coxinhas no fogão (ainda sem acender); Prepara uma tigelinha funda com água e outra com a farinha de rosca; Separe um prato para colocar as coxinhas prontas para empanar e outro para as coxinhas prontas para fritar; Arrume na sequência: massa, recheio, prato para coxinhas modeladas, água, farinha de rosca, prato para coxinhas prontas;
  7. Monte as coxinhas: pegue um pedaço de massa do tamanho de uma bolinha de pingue-pongue. Amasse a bolinha na mão, formando uma cumbuquinha (afundando com o polegar e arrumando o lados). Coloque uma quantidade de recheio no meio, não muita pra não dificultar na hora de fechar. Forme uma trouxinha e arrume o formato com a curva entre o seu polegar e o indicador. Repita esse procedimento com toda a massa (com a quantidade de recheio que foi indicada, eu fiz a massa toda e sobrou muito, então se você quiser pode fazer menos ou usar o recheio em outra preparação depois);
  8. Nesse momento, ligue o fogo da panela com o óleo e coloque um palito de fósforo dentro (que não foi usado ainda). Essa técnica é antiga e funciona assim: Quando o fósforo acender com o calor do óleo, quer dizer que a temperatura está ideal para a fritura por imersão;
  9. Essa próxima etapa é legal ser feita por duas pessoas, se possível, pra não ficar lambuzando os dedos de água com farinha e formando gruminhos. Passe a coxinha modelada na água e depois na farinha de rosca, prestando atenção se ela está completamente envolvida. Tire o excesso da farinha de rosca e coloque no prato que você havia separado. Repita com todas as coxinhas.
  10. Prepare uma travessa ou prato grande com várias folhas de papel toalha. Quando o óleo estiver na temperatura certa, comece a fritar as coxinhas em pequenas quantidades. Não coloque todas de uma vez (a não ser que sua panela seja enorme!). O ideal é fritar duas ou três por vez, elas não podem ficar uma por cima da outra.
  11. Quando as coxinhas ficarem douradas, tire com uma escumadeira e coloque na travessa/prato com papel toalha. Repita a operação com todas e pronto! Coma quentinha 😀

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Eu sei, eu sei. Pelo texto, parece que dá uma trabalheira né? Mas não se assustem!! As etapas se sincronizam e acaba sendo bem mais rápido e simples do que parece, juro! A modelagem foi tão rapidinha e as coxinhas ficaram tão lindinhas que eu nem acreditei! Ainda não se convenceu? Dá pra congelar \o/ Então, por mais trabalhoso que possa parecer, você pode fazer a receita (que rende umas 15 coxinhas) quando tiver com paciência e ter um lanchinho super delícia a semana toda. Que tal?

Tá, eu também sei que fritura não é das melhores coisas pra se comer… Mas essa coxinha é TÃO BOA, tão legal de fazer, que eu vou continuar me deixando iludir.. Afinal, pelo menos ela é feita com farinha integral e legumes como recheio, né? 😀

Assistam o vídeo, assinem o canal. Vocês não vão se arrepender!

 

E no meio do processo:

 

DSC_9779

Bom apetite!!

  • 0

    Overall Score

  • Reader Rating:  0 Votes

Share

About ytauana

You May Also Like

4 comments on “Novas tradições

  1. Visnu
    15/01/2015 at 14:55

    Essas coxinhas são muito boas!!! Mil vezes melhor que as ‘tradicionais’!!! São saborosas e muito leves!!!
    Apaixonei hahahaha
    Uma libertação pra quem é vegetariana 🙂

    • ytauana
      15/01/2015 at 15:17

      Tu não sabe como eu fiquei louca na primeira vez que eu fiz!! Hahaha
      Foi uma comilança!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *